Posted in Educação, Health and wellness, Saúde e bem-estar

O AUTO-ELOGIO…

O AUTO-ELOGIO…

O elogio deixa as pessoa decentes contrafeitas, enquanto o auto-elogio deixa todas as pessoas sérias boquiabertas. O elogio não desagrada, mas provoca no elogiado o senso crítico. Embora se sinta gratificado, ele sabe que poderia fazer melhor – e sente o peso dessa responsabilidade.

O auto-elogio é o substituto do elogio que não aconteceu. É a mentira computada sem pejo. É a agressão à capacidade crítica dos que a tudo assistem e que conhecem a realidade. É o atestado de ignorância, pois equivale a dizer: “Como VExa. não sabe avaliar, avalio por si. E a verdade é esta, sou bom e faço o melhor!”. É menosprezo pela inteligência alheia.

Imagino poder estar correto, pois o auto-elogio dificilmente é proferido em diálogo com quem conhece bem o descarado. O auto-elogio é proferido perante quem é “de fora”, de longe ou recém-chegado. É a tentativa de impor uma imagem distorcida, antes que o outro compreenda e constate por si mesmo a realidade efectiva.

O auto-elogio é desespero de uma pessoa incapaz…

Ou será que me engano?

via http://om.weblog.com.pt/

Advertisements

2 thoughts on “O AUTO-ELOGIO…

  1. Gostei do artigo, e, consultando a tua fonte, vi um comentário que me pareceu interessante.
    Este:

    “Está correcto que o auto-elogio é por regra uma atitude feia, nos termos que referes. Porém, vezes há em que o auto-elogio anuncia aos outros aptidões que eles não sabem, ou que não querem ver, sendo de resto um dever de cada qual dizer, sem pejo, aquilo que faz bem ou em que é bom (do mesmo modo como aquilo em que se é nabo). Até porque o erradicar do auto-elogio consagraria as falsas modéstias que também não são muito de aplaudir. Se certa qualidade é por vezes apontada pelo próprio, não só pode derivar de um dever de colocá-la ao serviço dos outros, como pode perfeitamente corresponder à realidade efectiva, sem atentado à inteligência de ninguém e, em certos casos, sim um atentado à suficiência dos invejosos. Portanto, concordo com o texto mas nem tanto ao mar, nem tanto à terra…”

    Afixado por: JFC em setembro 19, 2003 07:21 PM
    http://om.weblog.com.pt/arquivo/009904.html

    Pensemos nisso… rs!

    Gosto MUITO do teu blog!

    Abraços,

    Like

    1. Olá Edson, é sempre muito bem receber a sua visita e a sua preciosa-sincera opinião.
      Me incomoda um pouco conviver com pessoas que se auto ‘promovem’ o tempo todo. Mas…veja bem, existem situações e situações.
      Um escritor, um cantor, por exemplo, ao promover um novo trabalho, deve sim, ressaltar as qualidades de seu novo produto, por exemplo, citando passagens ou mostrando a sua importância. Não é o ‘auto’elogio’ em si que incomoda, mas como ele é praticado.
      O que falo especificamente é sobre o auto-elogio constante que cansa…
      Se uma pessoa é bonita, inteligente, competente, ela será elogiada. Mas se ela mesma se preocupa em se promover o tempo todos, todos irão se calar…(e pensar “mas como eles são chatos, prepotentes…)
      Como disseste, nem tanto ao mar, nem tento à terra!!!

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s