Posted in Brasil, Notícias, Utilidade Pública

Neve que caiu no Estado nos últimos dias é resultado de fenômeno raro no mundo

Registrada em apenas 8% das formações, conjunção rara de condições explica o branco que tingiu 107 municípios.

 

Neve que caiu no Estado nos últimos dias é resultado de fenômeno raro no mundo Guto Kuerten/Agencia RBS

Neve como a que caiu em Rancho Queimado teve formação raraFoto: Guto Kuerten / Agencia RBS

 

Carolina Dantas e Sâmia Frantz (carolina.dantas@diario.com.br e samia.frantz@diario.com.br)

 

A neve que tingiu Santa Catarina – (Brasil) de branco esta semana nunca foi registrada de forma oficial em tantas cidades ao mesmo tempo. Mas é por outro motivo que o fenômeno ficará guardado para sempre na história de Santa Catarina: a forma como os flocos de gelo nasceram na atmosfera, em uma formação considerada rara pela meteorologia — a friagem.

O mais comum é a neve nascer do encontro de dois ciclones, um no sentido horário — mais úmido, que vem do oceano Atlântico — e outro no sentido antihorário — mais seco e mais frio, que vem de países como Argentina e Uruguai. Mas desta vez, outras situações atmosféricas provocaram o fenômeno.
Tudo começou por causa de uma frente fria estacionada entre a costa de São Paulo e o noroeste do Rio Grande do Sul. A chegada de um ar mais gelado vindo da Argentina instabilizou a atmosfera e formou nuvens de gelo, que deram início ao fenômeno na segunda-feira. Somente 8% das nevadas se formam assim.

Essa formação é o que explica, também, o fato da neve ter caído em menor quantidade, mas espalhada pelo Estado — 107 municípios registraram o fenômeno, segundo a Epagri/Ciram. Em 2010, quando 23 cidades foram atingidas, a espessura da neve era maior porque a formação ocorreu do método tradicional, do cruzamento de dois ciclones.

Segundo o pesquisador Alexandre Aguiar, sócio-diretor da MetSul Meteorologia, há pelo menos 30 anos não se via um fenômeno assim.

— Essa semana foi completamente atípica. Foi um aprendizado para qualquer um que trabalha com meteorologia. É o fenômeno mais incrível no Sul do país desde as enchentes de 2008 — explica.

Doutora em meteorologia, a pesquisadora Márcia Fuentes, explica que o Estado já viu outros dois momentos com formação similar, mas não tão intensa: de 1970 a 1975 e no ano 2000. No primeiro período, nevou cinco vezes em cinco anos. Mas como existiam poucas estações meteorológicas na década de 70, o registro feito pelos órgãos não chegou nem perto do que ocorreu neste ano.

— Agora, as redes sociais e a fotografia digital têm papel fundamental para a meteorologia. As informações chegam com rapidez e podemos deslocar os observadores para outros lugares. Checar os fenômenos é mais fácil — diz Márcia, que pesquisa todos os registros de neve na região Sul do Brasil ocorridos desde 1948.

Hoje, a Epagri tem cerca de 200 estações que medem fatores como ventos, temperatura e radiação e pelo menos 15 pontos de observação de fenômenos meteorológicos.

via  DIÁRIO CATARINENSE

.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s