Feeds:
Posts
Comments

Archive for the ‘História’ Category

Advertisements

Read Full Post »

Não se trata de sensacionalismo, é um fato terrível. As pessoas não podem virar o rosto para essa dura realidade, essa tragédia!
Os sírios estão pedindo socorro. Como diz o menino do vídeo: "não queremos ir para a Europa, queremos é que parem essa guerra"!!!
Hoje de manhã, sem querer me deparei com a imagem do "garotinho na areia". Uma criancinha de 3 aninhos, toda arrumadinha, ainda com os sapatinhos. Morreu também a mãe e o irmãozinho de 5 anos…
Foi como um soco no estômago, uma dor imensa no coração. Não deu para segurar as lágrimas!

Grief: Reacting to the tragedy, social media users have created moving and poignant artworks based around the photographs of Aylan's tiny body - with many portraying the tragic little boy as an angel

A imagem do menino morto na praia tirou o sono do comentarista de cultura do Estúdio i – Felipe Pena.
Da insônia, nasceu um texto desabafo:

"O menino na areia não é sírio.
O menino na areia não é refugiado.
O menino na areia não respira.
E não respiram todos que viraram o rosto para o rosto virado na areia.
Ele, o menino na areia, é o arame farpado na fronteira, é o lorde de peruca no parlamento, é o trem sem janelas na estação fechada de todos os países. O menino na areia é alemão, é húngaro, é inglês. E também é argentino, brasileiro e judeu.
O menino na areia vive (e morre) na periferia de sua atenção, embaixo do tapete, no rodapé do jornal que não existe mais. O menino na areia é a especulação, a taxa de câmbio, o spread bancário e o socialista de botequim. O menino na areia é o menino deitado, de rosto virado para os cegos do outro lado da areia.
Cegos que, ontem, finalmente, viram o menino na areia.
E viram no livro dos rostos, que não estavam virados, mas ocupados, entre festas na areia, carros importados e guerrilhas ideológicas.
Ontem, todos nós vimos o menino na areia.
Mas o rosto, virado na areia, não era o do menino na areia.
– Olhe de novo, menino na areia."

Veja o VÍDEO

.

Read Full Post »

O UOL separou seis curiosidades sobre o líder, conhecido por sua personalidade forte…

 

Continue lendo […]

 

 

via http://educacao.uol.com.br

.

Read Full Post »

Fairy tales, gripping, magical and inspiring, are master narratives. Children subconsciously recall their messages as they grow older, and are forced to cope with real injustices and contradictions in their lives. Some fairy tales are based on legends that incorporated a spiritual belief of the culture in which they originated, and were meant to emulate truth…

 

Continue reading[…]

 

snow white

 

via http://www.huffingtonpost.com/

.

Read Full Post »

No centenário da Primeira Grande Guerra, preparamos um ensaio em cores para celebrar a estupidez humana…

 

Continue lendo […]

 

capa

 

via Spotniks

.

Read Full Post »


A língua alemã é relativamente fácil. Todos aqueles que conhecem as línguas derivadas do latim e estão habituados a conjugar alguns verbos podem aprendê-la rapidamente. Isso dizem os professores de alemão logo na primeira lição.

Vamos lá…. para ilustrar tal simplicidade, imaginemos que vamos estudar um exemplo. Primeiro, pegamos um livro em alemão, neste caso um magnífico volume, com capa dura, publicado em Dortmund, e que trata dos usos e costumes dos índios australianos Hotentotes (em alemão, “Hottentotten”).

Conta o livro que os cangurus (Beutelratten) são capturados e colocados em jaulas (Kotter) cobertas com uma tela (Lattengitter) para protegê-las das intempéries. Essas jaulas, em alemão, chamam-se jaulas cobertas com tela (Lattengitterkotter) e, quando possuem em seu interior um canguru, chamamos ao conjunto de jaula coberta de tela com canguru (Lattengitterkotterbeutelratten).

Um dia, os hotentotes prenderam um assassino (Attentäter), acusado de haver matado a mãe (Mutter) hotentote (Hottentottermutter) de um garoto surdo e mudo (Stottertrottel). Essa mulher, em alemão, chama-se Hottentottenstottertrottelmutter e, a seu assassino, facilmente chamamos de Hottentottenstottertrottelmutterattentäter.

No livro, os índios o capturaram e, sem ter onde colocá-lo, puseram-no numa jaula de canguru (Beutelrattenlattengitterkotter). Mas, incidentalmente, o preso escapou. Após iniciarem a busca, rapidamente veio um guerreiro hotentote gritando:

– Capturamos o assassino (Attentäter)!

– Qual?? – perguntou o chefe.

– O Lattengitterkotterbeutelratterattentäter – respondeu o guerreiro.

– Como? O assassino que estava na jaula de cangurus coberta de tela? – disse o chefe dos hotentotes.

– Sim – responde a duras penas o indígena – o Hottentottenstottertrottelmutteratentäter (assassino da mãe do garoto surdo e mudo).

– Ah – diz o chefe – você poderia ter dito desde o início que havia capturado o Hottentotterstottertrottelmutterlattengitterkotterbeutelrattenattentäter!

Viram? Facinho!!!
Auf Wiedersehen!
E por falar em nisso, os convido a ver um pouco do estado se Santa Catarina (onde moro), colonizado por alemães e italianos,  aqui e aqui

Read Full Post »

 

Veja algumas hipóteses sobre a simbologia presente em obras de arte mundialmente conhecidas…

Leia mais/Read more: http://www.megacurioso.com.br

 

mundo

 

 

via MegaCurioso

.

 

 

 

 

Read Full Post »

Older Posts »