Posted in Crônicas, LinguaPortuguesa, Literatura, Prosa

Atletas da base do Flamengo morrem em incêndio no CT Ninho do Urubu

Sobre os atletas de base que morreram no incêndio no CT Ninho do Urubu:

“Creio que não há dor maior nesta vida do que perder um filho. Suponho que seja algo sem nome, sem paralelo, sem consolo.
Como se não bastasse ter o peito lentamente rasgado, acrescenta-se dose extra de padecimento com a informação de que se derramou o sangue do filho alheio – em Brumadinho, no Flamengo ou na Boate Kiss – por causa de descaso, falta de fiscalização, irresponsabilidade, descompromisso, ganância.
Segue sangrando o peito de todos nós, brasileiros, diante de tragédias perfeitamente evitáveis, vidas perdidas por um nada, sonhos destruídos quando mal se iniciavam.
Todos nós sofremos, sim, porque esse padecimento monstruoso contagia. Quando morre o filho de alguém, os outros pais se encolhem junto, imaginando se fosse o seu menino ou a sua garotinha (filhos jamais crescem) a partir tão cedo.
E choram.Choramos nós. E nos valemos de doces imagens – como asinhas iguais às de Mercúrio – nos pés dos meninos que se foram. Triste tentativa de estancar esse rio de lágrimas na nossa cara.”

Texto de Sonia Zaguetto

Image may contain: plant and outdoor

 

 

Início